Um vinho laranja mais não é do que um vinho branco vinificado como se fosse um vinho tinto.

O mosto da uva fermenta em contacto com as películas e nalguns casos chega mesmo a estagiar longos meses. A película vai conferindo uma cor mais carregada ao mosto, a ponto de o alaranjar.

Por isso, quando provamos um destes vinhos brancos eles surgem com uma tonalidade laranja… bom, em rigor uma tonalidade âmbar.

A técnica não é nova. É ancestral.

Basta pensarmos que era assim que há muitos séculos se fazia vinho, por exemplo nas ânforas de barro usadas na Geórgia ou pelos romanos, tal como os verdadeiros vinhos de talha que atualmente conseguimos provar. (…)

PODCAST

download