Portugal pode muito em breve orgulhar-se de ter não um mas dois Master Sommelier (MS). Carlos Simões não só acalenta esse sonho como o persegue enquanto desafio profissional e de vida, em larga medida inspirado pelo mentor, João Pires – o único MS português.

Carlos oficia atualmente no restaurante australiano Vue de Monde, em Melbourne, tido como um dos 100 restaurantes do mundo com melhor carta de vinhos.

Iniciou carreira a sério no lisboeta Eleven e depois emigrou, primeiro para Londres (onde trabalhou em restaurantes dos famosos chefes britânicos Gordon Ramsay e Heston Blumenthal), seguindo-se Paris (restaurante Sur Mesure). Um dia, confidencia, haverá de regressar a Portugal.

Entrevista para ouvir na íntegra em formato Podcast, com alguns destaques disponíveis também para leitura.

PODCAST:

»DOWNLOAD«

“O sommelier não pode ser arrogante. Tem que ser honesto, simples, tem que ir ao encontro do que o cliente quer”.

“Quanto mais conhecimento se tem menos pressão também se tem porque estamos mais à vontade, nós é que comandamos aquilo que fazemos com o cliente”.

“O sommelier tem que dar a volta ao cliente e fazer com que o cliente, no final, lhe aperte a mão e diga que foi a melhor experiência que teve na vida”.

“A carta de vinhos do Vue de Monde tem 2.000 referências, 14.000 garrafas que equivalem a um pouco mais de 800.000 euros. Não vou comprar um vinho só porque as pessoas falam desse vinho; vou comprar um vinho que faça sentido na carta”.

“O João (Pires) é um mentor, é um grande amigo. Para mim é quase uma figura paternal. No Dinner by Heston, em Londres, deu-me muito na cabeça e ensinou-me muita coisa. Não estaria aqui hoje se não tivesse trabalhado com ele”.

“As pessoas têm uma boa ideia do que são os vinhos portugueses. Algumas pensam que Portugal só produz Vinho do Porto mas, depois, quando provam um vinho português do Douro ou do Alentejo ficam muito surpreendidas, adoram”.

“Eu acordo a pensar nisso, eu vou para a cama a pensar nisso, passo o dia a pensar nisso. É um sonho, é muito, muito difícil e exigente, mas sem dúvida que estou a trabalhar para isso (Master Sommelier)”.

 

“Adorava voltar a Portugal e abrir um restaurante. Um dia vou voltar, sim”.

 

_fotos cedidas pelo sommelier Carlos Simões