Uma das ideias mais estapafúrdias sobre o vinho é defender que deve ser servido à “temperatura ambiente”.

A 35ºC graus no verão? A 2ºC no inverno? A temperatura ambiente é coisa que não existe. Vejamos…

A temperatura ambiente de qualquer local, dentro ou fora de quatro paredes, é sempre variável. Por isso, o melhor é respeitarmos uma temperatura correta para servirmos o vinho, independentemente de isso nos obrigar a colocar um vinho tinto no gelo, por exemplo.

PODCAST:

»download«

E se a cena acontecer num restaurante não se preocupe com as caretas do funcionário. Afinal, quem vai pagar conta? E não existe a máxima que defende que o cliente tem sempre razão?…  Bom, nem sempre é assim, convenhamos, mas se a discussão ficar feia aqui tem mais um argumento para ripostar.

Por muito bom que seja o vinho, se não for consumido a uma temperatura correta a perceção que teremos dele nunca será fidedigna.

Ah, e nem me falem do famoso “chambrear” o vinho. Um vinho tem taninos como o chá, é verdade, mas aquecê-lo de forma forçada é mais ou menos como colocar um gelado no fogão só para não nos chatear as gengivas.

Se o vinho estiver demasiado frio, espere um pouco, coloque o copo no meio das mãos enquanto conversa e em dois minutos estará no ponto.